*POST ATUALIZADO EM 15/04/2018*
“Meu nome é Jussikelly. A minha filha Luhandra Vitória nasceu com microcefalia em novembro de 2015. Eu tive zika no terceiro mês de gestação e descobri a micro quando fui fazer um ultrassom no 6º mês. Para mim, foi um...

*POST ATUALIZADO EM 15/04/2018*

“Meu nome é Jussikelly. A minha filha Luhandra Vitória nasceu com microcefalia em novembro de 2015. Eu tive zika no terceiro mês de gestação e descobri a micro quando fui fazer um ultrassom no 6º mês. Para mim, foi um choque. Mudou toda a minha vida. Antes do nascimento dela, eu tinha um pequeno comércio, mas precisei fechar porque não tenho mais condições de trabalhar, já que preciso garantir que minha filha tenha os tratamentos necessários. Eu a acompanho de segunda a sexta nos hospitais e centros de reabilitação. O pai dela trabalha, mas ganha muito pouco e foi embora de casa. Além da Luhandra, tenho mais quatro filhos: Maria Fernanda, Josenildo Jr., Jully e Jasminy. Nossa maior dificuldade é conseguir os remédios, o leite e o suplemento alimentar que ela precisa, que são caros. Também tenho que pagar o aluguel. Minha filha fez uma cirurgia para colocação de sonda para se alimentar, mas o tamanho ficou errado e ela precisa trocar com urgência. Custa muito caro uma nova e precisamos de ajuda com isso. Tentamos pela defensoria pública, mas o pedido foi negado. Tenho muito amor por meus filhos. O meu sonho é ver minha caçula vivendo sem dor e sem sofrer preconceito.”

A bebê Luhandra precisa de:
- doações em dinheiro para comprar a nova sonda para alimentação
- lata de Fortini, da Danone
- lata de leite em pó Ninho
- fralda tamanho G
- roupa tamanho 2 anos
- sapato número 22,  roupinhas tamanho 3
- parapodium
- itens de banho e higiene infantil- brinquedos e livrinhos para estimular o desenvolvimento
- doações em dinheiro para comprar remédios e ajudar com as despesas gerais da família
- Para as irmãs: roupas tamanho 4 e 7 anos e sapatos 26 e 31 (meninas).  Para o irmão: roupa 9 anos e sapatos 32 (menino).

Para doações em dinheiro:
Jussikelly Severina da Silva
Banco: Caixa Econômica Federal
Agência 4756
Conta 14707-2 (conta poupança)
Número de operação 013
CPF: 086.079.854-26

#microcefalia zika viruszika zikavirus cabecaecoracao

*POST ATUALIZADO EM 20/03/2018*
“Meu nome é Wiliany Maiara, moro em Natal (RN) e sou mãe da Maria Rita. Minha filha não é vítima da epidemia de zika, mas também tem microcefalia e precisamos de ajuda. Ela nasceu em maio de 2012. Nós só descobrimos a...

*POST ATUALIZADO EM 20/03/2018*

“Meu nome é Wiliany Maiara, moro em Natal (RN) e sou mãe da Maria Rita. Minha filha não é vítima da epidemia de zika, mas também tem microcefalia e precisamos de ajuda. Ela nasceu em maio de 2012. Nós só descobrimos a micro depois do parto. Os médicos me disseram que foi causada pela infecção com citomegalovírus. Os tratamentos começaram desde que ela nasceu e continuam até hoje. O meu marido trabalha fazendo bicos. Eu não consigo trabalhar porque preciso cuidar dela. A Maria Rita é nossa única filha. Vivo só por ela”.

Maria Rita precisa de:
- fraldas XXG
- roupinhas tamanho 5 anos e calçado número 26
- leite integral
- itens de banho e o higiene infantil
- brinquedos para estimular a visão

Para doações em dinheiro:
Josinaldo dos Santos Filho (pai da criança)
Agência: 1585
Conta: 8737-4
CPF: 080.778.7647-1
Número de operação: 013
Banco Caixa Econômica Federal 

*POST ATUALIZADO EM 26/02/2018*
“Meu nome é Rosana, moro no Recife (PE) e tenho três filhas. A mais nova, Luana, nasceu com microcefalia em outubro de 2015. Descobri só depois que ela nasceu. Eu não notei sintomas de zika, mas fiz o exame para ver se...

*POST ATUALIZADO EM 26/02/2018*

“Meu nome é Rosana, moro no Recife (PE) e tenho três filhas. A mais nova, Luana, nasceu com microcefalia em outubro de 2015. Descobri só depois que ela nasceu. Eu não notei sintomas de zika, mas fiz o exame para ver se tive e o resultado foi positivo. Atualmente, nossa rotina é de casa para o hospital e do hospital para casa. A Luana precisa de muitos cuidados médicos e terapias, mas está se desenvolvendo. Eu estou desempregada e não posso contar com o pai dela. Nós não moramos mais juntos e ele não manda nenhum tipo de ajuda. Vivo com o benefício social que recebemos, mas o custo de vida é caro. Agora, ela precisa de um tratamento com botox para fortalecer a musculatura e ajudar minha filha a se sentar. Mas esse tipo de procedimento não é feito pelo SUS e custa cerca de R$ 1 mil. Os médicos também recomendaram uma cirurgia no quadril e estou correndo atrás disso. O meu sonho é que, no futuro, a Luana e minhas outras filhas possam estudar, trabalhar e subir na vida pelos próprios esforços”.

A bebê Luana precisa de:
- doações em dinheiro para pagar o tratamento  para a musculatura 
- fraldas tamanho G
- latas de leite Fortini ou Milnutri 
- lata de Mucilon de arroz e aveia
- carrinho de bebê
- itens de banho e higiene infantil 

Para doações em dinheiro
Rosana Vieira Alves da Silva 
CPF 071.755.494-58
Agência 0917
Número de operação 013
Conta poupança: 76298-6
Caixa Econômica Federal

microcefalia zika

*POST ATUALIZADO EM 7/2/2018*
“Meu nome é Soraya, sou mãe do Leonardo Gabriel, que nasceu em agosto de 2015. Ele tem microcefalia por causa do vírus zika e eu só descobri depois do nascimento. Meu filho nasceu todo durinho, não mexia nada, só os...

*POST ATUALIZADO EM 7/2/2018*

“Meu nome é Soraya, sou mãe do Leonardo Gabriel, que nasceu em agosto de 2015. Ele tem microcefalia por causa do vírus zika e eu só descobri depois do nascimento. Meu filho nasceu todo durinho, não mexia nada, só os olhos. Mas agora, graças à fisioterapia, ele está melhor. O Gabriel é meu único filho e o pai nos abandonou. Eu queria continuar trabalhando, mas não posso, porque o bebê precisa de muitos médicos e cuidados. Não tenho familiares para me ajudar. Leonardo está tendo muitas crises convulsivas e precisa de medicamentos fortes e acompanhamento médico constante. Nossa principal dificuldade é conseguir os exames:  a fila de espera no SUS é de muitos meses e em clínica particular, custa muito caro. Atualmente ele precisa de uma ressonância magnética da cabeça, porque as convulsões estão muito frequentes. Eu ganho o benefício social dele, mas é pouco e não consigo pagar pelos exames. O meu sonho é que o meu filho ande, seja feliz e não sofra preconceitos.”

O bebê Leonardo Gabriel precisa de:
- Doações em dinheiro para realizar exames. 
- Latas de leite Milnutri, da Danone.
- Lata de complemento alimentar PediaSure
- Fralda tamanho G (Cremer ou Pampers porque o bebê tem alergia das outras)
- Alimentos/ Cesta básica
- Roupinhas tamanho 4 anos

Para doações em dinheiro:
Soraya Palloma da Silva Paulo
Banco Itaú
Conta poupança
Agência: 0550
Conta:10099-4
CPF:062.177.494-40

*POST ATUALIZADO EM 12/12/2017*
“Meu nome é Angelica Pereira. Moro em Santa Cruz do Capibaribe (PE) e estou casada há dois anos. A Luiza Beatriz é minha única filha. Ela nasceu no dia 6 de outubro de 2015. Fiquei emocionada quando a vi pela primeira...

*POST ATUALIZADO EM 12/12/2017*

“Meu nome é Angelica Pereira. Moro em Santa Cruz do Capibaribe (PE) e estou casada há dois anos. A Luiza Beatriz é minha única filha. Ela nasceu no dia 6 de outubro de 2015. Fiquei emocionada quando a vi pela primeira vez. Quando saí da sala de parto, minha mãe me contou que a pediatra achava que a bebê tinha algum probleminha. Não fiquei muito preocupada quando a médica disse que podia ser microcefalia, porque não sabia o que era. Depois que pesquisei na internet, fiquei triste e desesperada. Comecei a procurar um neurologista. Fizemos exames e a microcefalia foi comprovada. Eu sempre corro atrás de tratamentos de graça para ela. Não tem neurologista na minha cidade. Encontramos um em Campina Grande (PB), que fica 1h40 distante da minha casa. É muito difícil levar e não temos condição de pagar. A consulta custa R$ 260. Eu trabalhava como costureira aqui em casa, mas desde que engravidei não tenho mais serviço. Procurei trabalho na cidade, mas não consegui. O meu marido era costureiro em uma empresa que pagava no máximo R$ 200 por semana. Mas ele sofreu uma tentativa de latrocínio e perdeu os movimentos de um lado do corpo. Agora não pode mais trabalhar e precisa de muitos medicamentos caros. A Luiza precisa de fraldas e de uma lata de leite Ninho por semana. O meu sonho é que minha filha seja inteligente, ande, fale. Os médicos sempre dizem que pode ficar sem andar e falar, mas eu tenho fé em Deus que um dia ela vai estudar e vai correr”.

A bebê Luiza Beatriz precisa de:
- fraldas tamanho XG
- latas de leite Ninho Fases 1
- roupa tamanho 3 anos e sapato tamanho 19
- doações em dinheiro para comprar alimentos e pagar consultas com neurologista
- brinquedos e livrinhos para estimular o desenvolvimento da bebê

Para doações em dinheiro:
Angélica Pereira da Silva
CPF: 700.168.664-60
Agência: 4758
Conta: 4946-2
Número de operação: 013
Banco: Caixa Econômica Federal

*POST ATUALIZADO EM 15/11/2017*
“Meu nome é Juliene, moro em Bonito (PE). O Davi é meu único filho. Ele nasceu em novembro de 2015 e tem microcefalia. No terceiro mês de gestação, tive pintinhas vermelhas, coceira e dor no corpo. Com oito meses de...

*POST ATUALIZADO EM 15/11/2017*

“Meu nome é Juliene, moro em Bonito (PE). O Davi é meu único filho. Ele nasceu em novembro de 2015 e tem microcefalia. No terceiro mês de gestação, tive pintinhas vermelhas, coceira e dor no corpo. Com oito meses de gravidez, fiz um um ultrassom e o médico percebeu que a cabeça do meu filho não estava se desenvolvendo como deveria. A microcefalia foi confirmada quando ele nasceu. Os meus exames acusaram que tive rubéola, mas os exames do meu filho deram positivo para zika. Ele precisa fazer terapias e ir aos médicos e por isso eu não consigo trabalhar mais. Meu filho está bem, o único problema são as crises convulsivas. Os médicos falam que ele está se desenvolvendo. Precisamos muito de uma cadeira de rodas, que é cara para a gente. A mais barata custa R$ 2 mil. Infelizmente o pai dele está desempregado, fazendo alguns bicos. Eu quero dar o melhor para o meu filho. Sonho em ver o Davi correndo e brincando.

O bebê Davi precisa de:
– doação em dinheiro para comprar a cadeira de rodas 
– fralda tamanho XG
– roupinhas tamanho 3 anos ou maiores, para o futuro
– calçado número 24
– brinquedos e livrinhos para estimular o desenvolvimento do bebê
– leite em pó Aptamil 3

Para doações em dinheiro:  
Juliene Radinaele da Conceição
CPF: 102.359.744-63
Agência 4995
Conta 8044-0
Caixa Econômica Federal 

*POST ATUALIZADO EM 12/11/2017*
“Eu me chamo Diana, sou mãe do Ezequiel, que nasceu em outubro de 2015. Os exames confirmaram que ele tem microcefalia causada pelo zika. Descobrimos apenas após o parto. O meu filho tem dureza nas pernas e nos braços,...

*POST ATUALIZADO EM 12/11/2017*

“Eu me chamo Diana, sou mãe do Ezequiel, que nasceu em outubro de 2015. Os exames confirmaram que ele tem microcefalia causada pelo zika. Descobrimos apenas após o parto. O meu filho tem dureza nas pernas e nos braços, e não firma o pescoço. A visão, graças a Deus, não foi afetada. Temos a esperança que ele possa falar. O Ezequiel toma remédio duas vezes por dia. Ele tem um tremorzinho no corpo. A rotina de médicos é cansativa, a gente não para. A nossa fonte de renda é o benefício social que recebo pelo meu filho. O pai dele é presente e também ajuda. Além do Ezequiel, temos mais dois filhos. No momento, o Ezequiel está abaixo do peso e apresenta febre com frequência. Nós precisamos de ajuda com leite, remédios, fralda e um parapódium para ajudar ele a se firmar. Queria muito aumentar a casa para ter mais conforto para ele. Está pequeno aqui para toda a família. É muito difícil e doloroso em todos os sentidos. A nossa vida desmoronou. Mas amo o meu filho e passaria tudo de novo para tê-lo em meus braços”.

O bebê Ezequiel precisa de:
– doações em dinheiro para remédios de uso controlado
– parapódium
– fralda tamanho G
– lata de Fortini
– roupinha tamanho G
– itens de banho e higiene infantil (shampoo, sabonete, pomada de assadura, lencinhos umedecidos etc)
– livrinhos e brinquedos para estimular o desenvolvimento do bebê
– roupas tamanho 1 ano e sapato número 20

Para doação em dinheiro:
Diana Felix de Lima Dias
Agência 1028
Numero de operação: 013
Conta: 6378-6
CPF: 046.664.474-40
Caixa Econômica Federal

zika microcefalia

*POST ATUALIZADO EM 11/11/2017*
“Meu nome é Marcione, sou mãe da Pérola Maria, que tem microcefalia. Ela nasceu em setembro de 2015. Descobri alterações já no primeiro ultrassom que fiz, no quarto mês de gestação. Daí para a frente, a cada exame...

*POST ATUALIZADO EM 11/11/2017*

“Meu nome é Marcione, sou mãe da Pérola Maria, que tem microcefalia. Ela nasceu em setembro de 2015. Descobri alterações já no primeiro ultrassom que fiz, no quarto mês de gestação. Daí para a frente, a cada exame aparecia uma coisa nova. No sétimo mês, me falaram da micro. Os médicos dizem que foi por causa da zika, que tive no início da gravidez. A rotina está bem puxada. A vida virou de cabeça pra baixo, mas não posso fraquejar. Eu morava em Betânia (PE), uma cidade do interior do estado, mas tive que me mudar para o Recife (PE), onde ela faz tratamento, exames, terapias e estimulações várias vezes por semana. O pai dela trabalha mas me ajuda pouco. Eu consegui o benefício social a que a Pérola tem direito, mas não temos dinheiro suficiente para pagar todas as despesas. A minha renda vem das vendas de cosmético, que eu faço no tempo que me sobra. A saúde da Pérola está estável com os anti-convulsivantes e os remédios para refluxo. Sobre o desenvolvimento, os médicos dizem que é preciso continuar estimulando. Agora ela está agora conseguindo firmar o tronco e já passa alguns segundos sentada. Eu aceito tudo o que vier de doação. Tenho mais três filhos além dela: a Clara, o Henzo, e o Emanuel. Minha vida gira hoje em torno da Pérola. Quero vê-la correndo na frente de casa. Sonho que ela consiga chegar onde todas as outras crianças chegam. Que possa andar, falar, enxergar, estudar, brincar. Que seja tudo no tempinho dela. Eu espero e ajudo. Tenho no meu coração a certeza de que ela vai alcançar tudo isso e muito mais”.

A bebê Pérola precisa de:
– doações em dinheiro para comprar remédios
- lata de espessante alimentar Nutillis
- leite em pó Ninho
- leite NAN Comfor 1
- Cremogema tradicional
- fraldas tamanho XG
- alimentos para a família/ cesta básica
- itens de banho e higiene
- brinquedos para estimular o desenvolvimento

Para doações em dinheiro:
Marcione Gomes da Rocha
Agência: 0914
Conta: 209391-0
Número de operaçao: 013
Caixa Econômica Federal
CPF 079.721.654-59

zika microcefalia

*POST ATUALIZADO EM 11/11/2017*
“Sou a Sabrina Silva, de São Vicente (SP). A minha bebê, Luany, tem microcefalia e nasceu em agosto de 2015. Eu fiz um monte de ultrassons e não sabia de nada. Só fui descobrir depois do parto. Foi um choque. Entrei em...

*POST ATUALIZADO EM 11/11/2017*

“Sou a Sabrina Silva, de São Vicente (SP). A minha bebê, Luany, tem microcefalia e nasceu em agosto de 2015. Eu fiz um monte de ultrassons e não sabia de nada. Só fui descobrir depois do parto. Foi um choque. Entrei em depressão, fiquei sem comer por vários dias. Me sentia muito triste. Os médicos dizem que minha filha está bem, mas que irá se desenvolver no tempo dela. Não sei se tive zika durante a gravidez. Não senti os sintomas. Só tive uma infecção urinária. Os médicos me disseram que também foram pegos de surpresa. Eu sou dona de casa e o pai dela vive de bicos. Minha filha faz fisioterapia duas vezes por semana, que eu consegui gratuitamente para ela. Agora a rotina está corrida, porque nasceu meu segundo filho, o Davi. A minha filha precisa muito de uma cadeira de rodas para apoiar a coluna, mas é caro demais: custa R$ 2.800. Precisamos de ajuda.“

A bebê Luany precisa de:
– cadeira de rodas para criança 
– roupas tamanho 1 ano
– brinquedos e livrinhos para estimular a bebê
– itens de banho e higiene infantil

Para doações em dinheiro:  
Fabiana da Silva Santos  (Avó materna da bebê)
Agência 0149-0
Conta 1659-4
Banco Bradesco
CPF  321.517.128-77

*POST ATUALIZADO EM 11/11/2017*
“O meu nome é Rosana, sou de Olinda (PE). Minha filha Maria Klara tem microcefalia. Ela não é vítima da epidemia de zika, mas também precisamos de ajuda. A minha gravidez foi tranquila, fiz o pré-natal certinho, mas...

*POST ATUALIZADO EM 11/11/2017*

“O meu nome é Rosana, sou de Olinda (PE). Minha filha Maria Klara tem microcefalia. Ela não é vítima da epidemia de zika, mas também precisamos de ajuda. A minha gravidez foi tranquila, fiz o pré-natal certinho, mas ela nasceu com paralisia cerebral. Depois, quando tinha 4 meses, ficou doentinha e levei para o hospital. Ela teve que ficar um mês na UTI. Nesse período, teve cinco paradas cardíacas. Um dia, a médica disse que ela ia morrer, que não ia resistir. Eu disse que minha filha ia sobreviver porque não estava sozinha, estava com Deus. No dia seguinte, os médicos não sabem o que aconteceu, mas Maria Klara conseguiu sair dos tubos. Foi só então que um médico me avisou que, além da paralisia cerebral, minha filha também tem microcefalia. Quando descobriram a micro, ela já tinha 5 meses. Eu consegui a fisioterapia gratuita e ela está fazendo. A minha rotina é ir para o hospital com ela. Os médicos disseram que minha filha tem coração inchado e que ela vai andar e falar mais para frente, no tempo dela… Recentemente descobri que estou grávida de novo, do meu segundo filho. Nós vivemos com o benefício social da minha filha, mas estamos passando necessidades. Pago R$ 400 de aluguel. A Maria Klara precisa engordar e se alimentar melhor, porque o médico disse que o peso está muito baixo. Precisamos de doações de alimentos. O pai dela está vivendo com a gente, mas não tem emprego fixo. Ele faz bicos em uma oficina”.

A bebê Maria Klara precisa de:
– alimentos/ cesta básica
– leite Fortine ou Pediasure 
– fraldas de pano 
– sapato tamanho 20 e roupas tamanho 2 anos
– brinquedos e livrinhos para estimular a bebê
– itens de banho e higiene infantil

Para doações em dinheiro:
Rosana Xavier de Mello
Agência: 4738 (Peixinhos, PE) 
Conta: 15384-8
Código de operaçÃo: 013 
Banco Caixa Econômica Federal 
CPF: 090.217.144-50

*POST ATUALIZADO EM 12/11/2017*
“O meu nome é Hilda Venâncio da Silva, sou mãe do Matheus. Nós vivemos em Recife (PE). O meu filho nasceu em novembro de 2015. Eu só descobri a microcefalia dele um pouco antes do parto. Durante todo o pré-natal, os...

*POST ATUALIZADO EM 12/11/2017*

“O meu nome é Hilda Venâncio da Silva, sou mãe do Matheus. Nós vivemos em Recife (PE). O meu filho nasceu em novembro de 2015. Eu só descobri a microcefalia dele um pouco antes do parto. Durante todo o pré-natal, os exames estavam normais. No quarto mês de gravidez, eu tive febre, manchas vermelhas no corpo e também muita coceira. Foi feito um teste pra dengue, mas deu negativo. Então os médicos trataram como uma alergia. Atualmente, a minha rotina é levá-lo a médicos, fisioterapia e terapia ocupacional de segunda a sexta. Eu tive que sair do serviço pra cuidar do Matheus. Minha família mora longe. Sou sozinha aqui no Recife. O meu filho nasceu sete anos após o meu esposo ter feito vasectomia. Ele era um bom pai e me ajudava muito com as nossas filhas duas mais velhas. Mas nós nos separamos recentemente porque ele começou a ficar violento com a gente. Agora estou vivendo só eu e os meus três filhos em uma casa alugada. Por isso precisamos de ajuda. Conseguimos o benefício social para o Matheus, mas pago o aluguel e tenho que comprar as coisas que ele precisa, como o suplemento alimentar, que é caro e não conseguimos de graça. O meu maior sonho e maior necessidade no momento é comprar uma casa própria pra gente. Precisamos de uma casa adaptada para cadeira de rodas que o Matheus irá usar. O meu filho está bem no momento, graças a Deus, mas ele é uma criança especial, com desenvolvimento muito lento para a idade dele. Os médicos falaram que o lado positivo é que ele não apresenta crises convulsivas e não precisa tomar nenhuma medicação. A microcefalia dele afetou os movimentos. Hoje a nossa renda é o benefício social que Matheus recebe. No momento, nossa maior necessidade é o suplemento alimentar que ele usa para ganhar peso, além de fraldas e produtos de higiene. Desejo  um dia ver o meu filho andando, falando e vencendo os obstáculos da microcefalia".  

O bebê Matheus precisa de:
- uma casa própria, adaptada para cadeira de rodas 
- fraldas tamanho G
- leite em pó Fortini, da Danone (precisa ganhar peso)
- roupinhas para ele (tamanho 2 e sapato número 20)
- roupas para suas irmãs Camille e Maria Clara (tamanho 16 anos) e sapatos número 35.
- itens de banho e higiene infantil
- brinquedos para estimulação visual

Para doações em dinheiro:
Hilda Venâncio da Silva
CPF 029.435.024-13
Caixa Econômica Federal
Conta: 54252-8  
Código de operação: 013
Agência: 1028

zika microcefalia

*POST ATUALIZADO EM 11/01/2018*
“Meu nome é Sabrina. Moro em Belo Horizonte (MG). Minha filha, Raysa, não é vítima da epidemia que está acontecendo agora, mas também tem microcefalia. Ela nasceu em agosto de 2014, só que os médicos não me avisaram...

*POST ATUALIZADO EM 11/01/2018*

“Meu nome é Sabrina. Moro em Belo Horizonte (MG). Minha filha, Raysa, não é vítima da epidemia que está acontecendo agora, mas também tem microcefalia. Ela nasceu em agosto de 2014, só que os médicos não me avisaram que ela tinha a cabecinha menor que os outros bebês. Doze dias após o parto, ela começou a ter febre e convulsões por conta de uma meningite que pegou. Foi internada, entubada, ficou um mês e meio em coma induzido. Agora ela também tem paralisia cerebral, como sequela da meningite. Ela é minha única filha. Antes eu era atendente de caixa, mas agora vivo para ela e não quero mais filhos. O pai foi embora de casa quando ela estava internada. Fiquei cuidando dela sozinha. Os remédios dela eu pego na farmácia do estado. Fisioterapia e fonoaudióloga eu consegui de graça. Mais para frente, sei que terei que pagar a hidroterapia. Para o futuro, eu sonho que ela tenha uma boa vida, que tenha melhores condições. Vamos vivendo um dia após o outro. Se ela não andar ou não falar, vai continuar sendo amada do mesmo jeito. Ela está crescendo. Está uma graça de menina". 

A bebê Raysa precisa de:
– roupinhas tamanho 6 anos e sapatinhos tamanho 26 (também aceita tamanhos maiores para o futuro)
– Fralda tamanho XG
– lata de Mucilon de multicereais
– itens de banho e higiene infantil
– livrinhos e brinquedos para estimular o desenvolvimento da bebê
– dinheiro para comprar os remédios

Para doações em dinheiro:
Raysa Fidelis Ferreira Silva
Agência 2923
Conta 26086-5
Número de operação 013
Caixa Econômica
CPF 146.368.826-10

*POST ATUALIZADO EM 20/08/2017*
“Eu sou Rafaela Maria, mãe da Evellyn Vittoria. Ela nasceu em novembro de 2015 e tem microcefalia. Vivemos em Paulista (PE) e pagamos aluguel. Descobri a microcefalia da minha filha apenas depois do nascimento. Os...

*POST ATUALIZADO EM 20/08/2017*

“Eu sou Rafaela Maria, mãe da Evellyn Vittoria. Ela nasceu em novembro de 2015 e tem microcefalia. Vivemos em Paulista (PE) e pagamos aluguel. Descobri a microcefalia da minha filha apenas depois do nascimento. Os médicos disseram que foi o zika que causou. Nossa vida está muito difícil. Ela precisa de exames, tratamentos, terapias e estimulação visual. Eu estou desempregada e ainda tenho outro filho. O pai não mora com a gente e também está sem emprego. Os remédios dela são caros e não estou conseguindo pelo governo. Sonho ter uma casa própria e que minha filha se desenvolva da melhor maneira possível”.

A bebê Evellyn Vittoria precisa de:
- cesta básica/ alimentos para a família
- doações em dinheiro para comprar remédios e outros itens básicos
- fraldas de pano ou descartável tamanho G
- lata de suplemento alimentar Fortini
- leite me pó Ninho
- roupas tamanho 1 ano
- tatame ou tapete de EVA para fazer exercícios de fisioterapia
- itens de banho e higiene infantil
- brinquedos e livrinhos para estimular a criança

Para doações em dinheiro:
Rafaela Maria da Silva Ribeiro
Conta: 105360
Agência:1581
CPF: 116.278.814-33
Número de operação: 023
Caixa Econômica

*POST ATUALIZADO EM 03/07/2017*
“Meu nome é Danielle, sou de Recife (PE). O David é meu quinto filho e tem microcefalia. Ele nasceu em julho de 2015 e teve que ficar 21 dias internado. Eu fiz pré-natal, exames, tomei vacinas, tudo certinho para a...

*POST ATUALIZADO EM 03/07/2017*

“Meu nome é Danielle, sou de Recife (PE). O David é meu quinto filho e tem microcefalia. Ele nasceu em julho de 2015 e teve que ficar 21 dias internado. Eu fiz pré-natal, exames, tomei vacinas, tudo certinho para a chegada dele. Quando estava com três meses de gravidez, eu passei mal durante uma semana, tinha dores no corpo, febre e muita sede. Não tive manchas na pele. Conseguia trabalhar, mas sentia muito cansaço. Quando eu estava com 35 semanas de gestação, fiz um ultrassom e o médico falou que o meu filho tinha um problema no cérebro. Eu chorava dia e noite. Ficava pesquisando na internet o que era a microcefalia. Me desesperei. Pedia muita força a Deus. Foi difícil pra mim. Tive que sair do trabalho pra cuidar dele. O pai do meu filho foi embora e não fala mais comigo. Estou morando na casa dos meus pais. Para o futuro, desejo que o meu filho seja uma criança normal, que possa realizar tudo o que sonhar. E que ele tenha saúde, porque amor ele já tem, e muito!”

O bebê David precisa de:
- cesta básica, alimentos para a família
– doação em dinheiro para ajudar a comprar um guarda-roupas
- espessante alimentar Nutilis
- lata de Mucilon
- lata de leite em pó Ninho
- lata de suplemento alimentar Fortini, da Danone
- fraldas tamanho G
- roupas tamanho 2 anos ou maior, para o futuro
- sapato tamanho 22
- bola de pilates para exercícios de fisioterapia
- itens de banho e higiene infantil (shampoo, sabonete, lenços umedecidos, pomada de assadura etc)
- brinquedos e livrinhos para estimular o desenvolvimento do bebê
- para os irmãos: roupas tamanho16 anos (menino) e tamanho 42 (meninas). Sapatos número 37 (menino) e 39 (meninas).

Para doações em dinheiro:
Danielle Cândida da Costa
Agência: 1028
Conta: 32562-4
CPF 047.333.414-31
Código de operação: 013
Banco: Caixa Econômica

*POST ATUALIZADO EM 13/03/2017*
“O meu nome é Paula. Sou da Bahia. Nós nos mudamos para Barueri, no estado de São Paulo, para buscar tratamento gratuito para o meu filho. Mas as coisas ficaram difíceis e agora voltamos para a Bahia. O meu filho,...

*POST ATUALIZADO EM 13/03/2017*

“O meu nome é Paula. Sou da Bahia. Nós nos mudamos para Barueri, no estado de São Paulo, para buscar tratamento gratuito para o meu filho. Mas as coisas ficaram difíceis e agora voltamos para a Bahia. O meu filho, Devid Lucas, não é vítima da epidemia de zika de 2015, mas tem microcefalia. No dia 24 de fevereiro de 2014, quando eu estava com 26 semanas de gestação, a minha bolsa rompeu e ele nasceu pesando 800 gramas. Então ele teve uma parada cardíaca e foi levado para a UTI. Ele ficou internado por 3 meses e 16 dias. Nesse período, teve três paradas cardíacas e passou por transfusões de sangue. Por ser prematuro, o cérebro e o pulmão não estavam totalmente formados. Quando ele ganhou peso e ia ter alta do hospital, a médica me avisou que ele tinha suspeita de microcefalia. Fizemos os exames e a micro foi confirmada. Eles não souberam dizer a causa. Também descobrimos que ele não escuta. O tratamento do nosso filho está muito atrasado. Precisamos de uma cadeira de rodas para estimular que ele fique sentado e que o pescoço fique mais firme. Eu vejo que ele quer muito falar, mas não consegue, porque não ouve. O médico disse que apenas um implante coclear pode ajudá-lo a escutar, mas custa caro. Estamos tentando pelo SUS. Meu sonho é ver o meu filho fazer o tratamento, para um dia ele me chamar de mamãe”.

O bebê Devid Lucas precisa de:
– cadeira de rodas para firmar o pescoço
– doações em dinheiro para comprar os remédios que ele precisa e, quem sabe, conseguir pagar pela cirurgia do implante que o fará escutar pela primeira vez.
– latas do suplemento alimentar Fortini, da Danone
– fralda tamanho M
– roupas tamanho 2 anos e sapatos tamanho 21
– itens de banho e higiene
– brinquedos e livrinhos infantis para estimular o bebê

Para doações em dinheiro:
Paula Silva Laranjeira
Agência: 1123-1
Conta corrente: 30601-0  
Banco do Brasil
CPF 857975485-26

microcefalia


Indy Theme by Safe As Milk