*POST ATUALIZADO EM 13/03/2017*
“O meu nome é Paula. Sou da Bahia. Nós nos mudamos para Barueri, no estado de São Paulo, para buscar tratamento gratuito para o meu filho. Mas as coisas ficaram difíceis e agora voltamos para a Bahia. O meu filho,...

*POST ATUALIZADO EM 13/03/2017*

“O meu nome é Paula. Sou da Bahia. Nós nos mudamos para Barueri, no estado de São Paulo, para buscar tratamento gratuito para o meu filho. Mas as coisas ficaram difíceis e agora voltamos para a Bahia. O meu filho, Devid Lucas, não é vítima da epidemia de zika de 2015, mas tem microcefalia. No dia 24 de fevereiro de 2014, quando eu estava com 26 semanas de gestação, a minha bolsa rompeu e ele nasceu pesando 800 gramas. Então ele teve uma parada cardíaca e foi levado para a UTI. Ele ficou internado por 3 meses e 16 dias. Nesse período, teve três paradas cardíacas e passou por transfusões de sangue. Por ser prematuro, o cérebro e o pulmão não estavam totalmente formados. Quando ele ganhou peso e ia ter alta do hospital, a médica me avisou que ele tinha suspeita de microcefalia. Fizemos os exames e a micro foi confirmada. Eles não souberam dizer a causa. Também descobrimos que ele não escuta. O tratamento do nosso filho está muito atrasado. Precisamos de uma cadeira de rodas para estimular que ele fique sentado e que o pescoço fique mais firme. Eu vejo que ele quer muito falar, mas não consegue, porque não ouve. O médico disse que apenas um implante coclear pode ajudá-lo a escutar, mas custa caro. Estamos tentando pelo SUS. Meu sonho é ver o meu filho fazer o tratamento, para um dia ele me chamar de mamãe”.

O bebê Devid Lucas precisa de:
– cadeira de rodas para firmar o pescoço
– doações em dinheiro para comprar os remédios que ele precisa e, quem sabe, conseguir pagar pela cirurgia do implante que o fará escutar pela primeira vez.
– latas do suplemento alimentar Fortini, da Danone
– fralda tamanho M
– roupas tamanho 2 anos e sapatos tamanho 21
– itens de banho e higiene
– brinquedos e livrinhos infantis para estimular o bebê

Para doações em dinheiro:
Paula Silva Laranjeira
Agência: 1123-1
Conta corrente: 30601-0  
Banco do Brasil
CPF 857975485-26

microcefalia

“Meu nome é Adriana. O João Antônio é meu único filho e tem microcefalia. Ele nasceu em dezembro de 2015. Somos da cidade de Bom Jardim (PE). Descobrimos a micro no sétimo mês de gestação. Nossa rotina tem sido corrida porque ele precisa realizar...

“Meu nome é Adriana. O João Antônio é meu único filho e tem microcefalia. Ele nasceu em dezembro de 2015. Somos da cidade de Bom Jardim (PE). Descobrimos a micro no sétimo mês de gestação. Nossa rotina tem sido corrida porque ele precisa realizar exames, consultas médicas, sessões de fisioterapia e terapia ocupacional. Eu sou professora e o pai dele é agricultor. O meu maior sonho é que o meu filho não seja muito prejudicado pela microcefalia e, se houver alguma sequela, que seja leve. Desejo que, no futuro, eu possa ver o meu filho na escola, brincando com os colegas e praticando esportes”. 

O bebê João Antônio precisa de:
- fralda tamanho G
- leite em pó NAN Supreme 2
- itens de banho e higiene infantil
- brinquedos e livrinhos para estimular o desenvolvimento do bebê

Para doações em dinheiro:
Adriana Gregorio de Amorim
CPF:037047864-97
Conta: 11.470-7
Agência :1650-0
Número de operação: 51 
Banco do Brasil

pernambuco microcefalia

“Eu me chamo Micaela. A Annika Vitória nasceu com microcefalia em outubro de 2015. Nós vivemos em Paulista (PE). Ela é minha única filha. Descobri a micro na 30a semana de gestação. Foi causada pelo vírus zika. Ela também tem epilepsia e síndrome de...

“Eu me chamo Micaela. A Annika Vitória nasceu com microcefalia em outubro de 2015. Nós vivemos em Paulista (PE). Ela é minha única filha. Descobri a micro na 30a semana de gestação. Foi causada pelo vírus zika. Ela também tem epilepsia e síndrome de West. Por isso, tem que tomar cinco medicamentos. Eu trabalhava como empregada doméstica, mas precisei pedir demissão para cuidar da minha bebê. O pai está desempregado desde que engravidei. Nossa rotina está muito difícil. Agora ela precisa se alimentar por meio de sonda. O meu sonho é que minha filha ande, fale e faça tudo o que uma criança saudável faz, sem precisar de remédios”. 

A bebê Annika Vitória precisa de:
– itens de banho e higiene infantil
– roupinhas a cima de 1 ano 
– brinquedos e livrinhos para estimular o desenvolvimento da bebê
– doações em dinheiro para comprar medicamentos

Para doações em dinheiro:
Damião Francisco da Silva (pai de bebê)
CPF 053 048 324-69
Agência 0048
Conta 201798-2
Número de operação 013
Caixa Econômica Federal

pernambuco microcefalia

*POST ATUALIZADO EM 17/12/2016*
“O meu nome é Germana, sou mãe do Guilherme, que tem microcefalia e nasceu em novembro de 2015. Somos de Ipojuca (PE). Ele é meu único filho. A suspeita surgiu 15 dias antes do parto. Após o nascimento, o Guilherme...

*POST ATUALIZADO EM 17/12/2016*

“O meu nome é Germana, sou mãe do Guilherme, que tem microcefalia e nasceu em novembro de 2015. Somos de Ipojuca (PE). Ele é meu único filho. A suspeita surgiu 15 dias antes do parto. Após o nascimento, o Guilherme teve que passar por vários exames que confirmaram a microcefalia. Os médicos acreditam que a causa foi a zika que tive durante a gravidez. Eu era corretora de imóveis, mas tive que abandonar a profissão para me dedicar ao tratamento do meu filho. O meu marido está desempregado há mais de um ano e faz bicos na praia todos os dias. Não temos família por perto para nos ajudar, então nossa rotina é muito intensa e cansativa. Com o carro da prefeitura, vou todos os dias a Recife, que fica a 70 km de nossa cidade. Lá, ele passa por consultas médicas e terapias para estimulações visual, motora e auditiva. Saímos de casa às 4h da manhã e só voltamos de noite. Nossa maior dificuldade é o custo de passar o dia todo fora de casa”.

O bebê Guilherme precisa de:
–  lata de leite Ninho 1+
– fraldas tamanho XG
– brinquedos e livrinhos para estimular o desenvolvimento do bebê
– itens de banho e higiene
– roupa tamanho 1 ano e sapato 22
– doações em dinheiro para compra de itens que o bebê precisa e para passar o dia nas terapias diárias em Recife (PE).

Para doações em dinheiro:
Germana Soares Amorim do Nascimento
Agência 3014
Número de Operação 013
Conta 16510-3
Caixa Econômica
CPF: 075.248.274-23

pernambuco microcefalia

“O meu nome é Susi, sou da cidade de Monteiro (PB). A Tayane Vitória é minha única filha e nasceu com microcefalia em agosto de 2015. Ela nasceu prematura e só descobri a micro após o parto. Ela nasceu com 1 kg, e perímetro cefálico de 23 cm. Ficou...

“O meu nome é Susi, sou da cidade de Monteiro (PB). A Tayane Vitória é minha única filha e nasceu com microcefalia em agosto de 2015. Ela nasceu prematura e só descobri a micro após o parto. Ela nasceu com 1 kg, e perímetro cefálico de 23 cm. Ficou internada por 48 dias e só depois foi para casa. Ela é minha guerreira. Eu tive zika no segundo mês de gestação. Atualmente, ela faz fisioterapia duas vezes por semana,e vai ao neurologista uma vez por mês. Agora vai começar a fazer terapia ocupacional e fonoaudióloga. Sou casada com o pai dela. Ele trabalha com carteira assinada e também me ajuda a cuidar da bebê. Vivemos com um salário mínimo por mês. É difícil bancar o aluguel, as despesas com a casa e com a bebê. Eu trabalhava, mas agora não posso mais, porque tenho que cuidar dela e levar nos tratamentos, que ficam em outra cidade. O médico disse que o desenvolvimento da minha filha está um pouco atrasado, mas já evoluiu bastante. O meu sonho é que ela tenha uma vida normal, que consiga estudar, falar, andar. Que possa se desenvolver bem e que não tenha muitas sequelas”. 

A bebê Tayane Vitória precisa de:
- fraldas tamanho XG
- leite em pó Nestogeno 2
- produtos de banho e de higiene infantil
- roupas tamanho 2 anos

A família não possui conta bancária.
Para ajudar com doações em dinheiro, procure pelo serviço de Vale Postal Eletrônico nas agências dos Correios. 
Susi da Silva Paiva
RG: 42.469.654-X
CPF: 334.045.768-96

cabecaecoracao microcefalia

*POST ATUALIZADO EM 17/12/2016*
“Eu me chamo Juliana Katharine. Sou mãe do Gabriel Luiz. Ele é meu único filho e tem microcefalia. Nós vivemos em Jaboatão dos Guararapes (PE). O Gabriel nasceu em setembro de 2015, no sétimo mês de gestação. Pesava...

*POST ATUALIZADO EM 17/12/2016*

“Eu me chamo Juliana Katharine. Sou mãe do Gabriel Luiz. Ele é meu único filho e tem microcefalia. Nós vivemos em Jaboatão dos Guararapes (PE). O Gabriel nasceu em setembro de 2015, no sétimo mês de gestação. Pesava 810 gramas e tinha perímetro cefálico de 23 cm. Descobrimos a microcefalia com quase 6 meses de gravidez. Eu tive zika no terceiro mês. Fiquei toda cheia de pintinhas e com duas ínguas atrás da orelha. Um exame realizado no meu bebê detectou o vírus. Eu trabalhava como recepcionista, mas estou desempregada desde o início da gravidez. A rotina agora é de médicos e fisioterapias para o meu filho. O pai dele tem emprego e ajuda. Para o futuro, sonho que o meu filho tenha a vida mais normal possível, que acabem os preconceitos e que ele viva em um mundo de mais amor e menos coisas ruins.”

O bebê Gabriel Luiz precisa de:
- bola de pilates para exercícios de fisioterapia 
- fralda tamanho G ou GG
- roupinhas (especialmente de frio) tamanho 1 ano ou maiores, para o futuro 
- calçados 19/20
- brinquedos e livrinhos para estimular o desenvolvimento do bebê
- itens de banho e higiene infantil
- leite em pó Nan Comfor 3

Para doações em dinheiro:
Juliana Katharine Bezerra do Nascimento
CPF 063.701.274-77
Agência: 0867
Número de operação: 013
Conta: 13514-0
Caixa Econômica Federal

microcefalia cabecaecoracao

*POST ATUALIZADO EM 15/12/2016*
“Meu nome é Elaine, sou mãe da Eduarda, que tem microcefalia. Ela nasceu em março de 2011 e é minha segunda filha. Nós moramos em Paulista (PE). A gestação foi tranquila, mas ela nasceu com perímetro cefálico de 32 cm....

*POST ATUALIZADO EM 15/12/2016*


“Meu nome é Elaine, sou mãe da Eduarda, que tem microcefalia. Ela nasceu em março de 2011 e é minha segunda filha. Nós moramos em Paulista (PE). A gestação foi tranquila, mas ela nasceu com perímetro cefálico de 32 cm. Só que nenhum médico me avisou sobre a micro. Saí da maternidade sem saber. O triste foi que, com dois meses de vida, ela apresentou um quadro aparentemente convulsivo, ficou roxa e sem respirar. Passou um mês internada, mas nem assim me contaram que ela era especial. Ela tinha muita dificuldade para engolir e vivia com pneumonia. Com um ano e dois meses, foi internada de novo. Dessa vez, ficou 5 meses na UTI e saiu com uma sonda. Graças a Deus, hoje a Duda está comigo em casa. Ela não anda, não fala, não senta e se alimenta só pela sonda. Ela é meu anjo, o meu amor incondicional. Larguei o trabalho para cuidar dela. Recebo um benefício social em nome da minha filha. Eu e o pai dela somos separados. Ele só ajuda com R$100 por mês. Eu me casei de novo. O meu marido trabalhava como técnico em manutenção, e arcava com todas as despesas, mas agora foi demitido e as coisas estão apertadas por aqui. Nós pagamos aluguel e gastamos muito com leite, medicamentos, produtos de higiene e sempre precisamos de ajuda. Para levar a Duda nas terapias, nós pegamos carro emprestado e pagamos a gasolina. Até hoje não sei o que causou a microcefalia dela, porque não tive nada durante a gravidez. Amo minha filha e faço tudo por ela”.

Eduarda, 4 anos, precisa de:
-doações em dinheiro para ajudar com as despesas da família
-fraldas XXG
- leite Ninho
- itens de higiene (lenço umedecido, sabonete, shampoo etc)
- roupa tamanho 10 anos pois está gordinha e sapato tamanho 21/22
- também aceita doação de roupa tamanho 34 para a irmã. Sapato 36 
-brinquedos para estimular o desenvolvimento

Para doações em dinheiro:
Elaine da Costa Gomes
Agência 6298-7
Conta 5243-4
CPF: 048.486.964-70
Banco Bradesco
 

microcefalia olinda pernambuco ajudeumbebêcommicrocealia cabecaecoracao

“Meu nome é Maria Ronise. Minha filha, Raissa Maria, nasceu em dezembro de 2015 com microcefalia. Minha gravidez foi desejada e planejada. Correu bem até o quinto mês, quando fiz um ultrassom morfológico para ter certeza de que estava tudo certo. Foi...

“Meu nome é Maria Ronise. Minha filha, Raissa Maria, nasceu em dezembro de 2015 com microcefalia. Minha gravidez foi desejada e planejada. Correu bem até o quinto mês, quando fiz um ultrassom morfológico para ter certeza de que estava tudo certo. Foi aí que a médica disse que tinha algo diferente com a minha filha. Eu me desesperei e fiz outro exame – e aí falaram da microcefalia. Eu tive zika no terceiro mês de gestação. Depois que ela nasceu, ficamos nove dias fazendo exames. Agora ela está bem. Moro em recife (PE) e não tenho familiares aqui. Somos só eu, meu meu marido e nossos dois filhos. Eu não trabalho. O meu marido trabalha com construção civil, mas não tem carteira assinada. Eu tinha medo que minha filha viesse a esse mundo para sofrer, mas vi que ela só precisa de cuidados e amor”.

A bebê Raissa Maria precisa de:
– fralda tamanho M (ou maiores, para o futuro)
– latas de leite Nan Comfor 2
– dinheiro para o transporte até o médico
– itens de banho e higiene infantil

Para doações em dinheiro:
Renaldo Santos Souza (pai da bebê)
Agência 0867
Número de operação 013
Conta 34668-0
CPF 072.241.224-08
Caixa Econômica Federal

recife microcefalia

“Meu nome é Maria Eduarda, sou de Muqui (ES). O meu filho mais novo, João Pedro, nasceu em março de 2015 e tem microcefalia. No sexto mês de gestação, fiz um ultrassom e deu uma alteração no cérebro dele. Quando nasceu, precisou ficar 30 dias na UTI...

“Meu nome é Maria Eduarda, sou de Muqui (ES). O meu filho mais novo, João Pedro, nasceu em março de 2015 e tem microcefalia. No sexto mês de gestação, fiz um ultrassom e deu uma alteração no cérebro dele. Quando nasceu, precisou ficar 30 dias na UTI e foi transferido para São Paulo para investigar o que tinha. Os médicos disseram que ele era portador de citomegalovírus. Meu filho teve que fazer tratamento e só saiu do hospital com três meses de vida. Nesse período de internação, ele teve uma parada cardíaca e ficou 25 minutos sem vida, mas depois voltou. Quando teve alta, o neurologista pediu uma ressonância e descobriu que o João tem paralisia cerebral, epilepsia, microcefalia e hidrocefalia não-hipertensiva. É uma luta, mas vivemos um dia de cada vez. Tenho outro filho, Davi, de 3 anos. É difícil porque o pai deles não ajuda com nada, não dá pensão. A gente se separou quando eu estava grávida de três meses. Desejo que o João ande. Meu sonho é que os meus filhos se formem e tenham um futuro brilhante.”

O bebê João Pedro precisa de:
– fralda tamanho G
– latas de leite em pó Neocate (da Danone)
– roupinhas tamanho G (e tamanho 3 ou 4 anos pra seu irmão)
– Itens de banho e higiene infantil
– livrinhos e brinquedos para estimular o desenvolvimento do bebê

Para doações em dinheiro:
Maria Eduarda Moreira Medeiros
Agência 0592
Número de Operação: 013
Conta: 7664-5
CPF: 120.844.997-47
Banco Caixa Econômica Federal

microcefalia cabecaecoracao


Indy Theme by Safe As Milk